domingo, 29 de abril de 2012

o percurso

As paredes do meu coração estão decoradas com minha dor, quadros pintados com vazio de saudades inevitaveis de nao se olhar. Sigo ruas vazias que acompanham o meu choro. Chego no ponto do ônibus esperando por qualquer sinal que me faça ter alguma reação, algum sorriso, um alivio, uma mão estendida que dessa vez chegue até à mim, um amor que preencha este espaço que nada preenche. Continuo meu percurso, olho para fora e choro. Como um garoto perdido em um deserto. Sedento e necessitado, eu vou guiando, levando, com olhos cansados, tentando e não obtendo. Alguém me salve. Chame uma ambulância. Estou andando numa linha, equilibrando-me, mas com a certeza de que qualquer sopro pode me fazer cair. Já dizia Fernando de Abreu “São coisas minimas que me ferem como catástrofes”. E pego meu ônibus, me ajudando enquanto só eu posso fazê-lo. Ninguém pode carregar minha bagagem e o meu coração decorado. Desço no meu ponto e sigo. Sigo pensando nos meus momentos, naquele passado marcado na memória que me impede de seguir. Chego em casa, vejo um quarto vazio e um espaço a ser preenchido na cama. Tomo banho pensando, pensando, e por fim apenas pensando em não pensar tanto. Não foi pra sempre e é dificil de digerir. O meu refúgio se foi. Eu durmo, me desligo e tudo acaba mal feito outra vez. Imerso em sonhos e me afogando na irrealidade, eu durmo.

sábado, 10 de março de 2012

Um dia nublado, parece um sentimento de luto. Só consigo sentir. Um menino sonhando com coisas que se parecem tão distantes quando colocadas na medida da realidade. Eu realmente não sei o que eu quero pra mim. Sei o que eu não quero: morrer. Morrer não é tão simples. Imagina só o que minha mãe vai passar lá no Maranhão, o sentimento eterno de insatisfação, de pensar "O que eu não fiz pra ele? eu pensei que agi da melhor maneira.". Mas mamãe, se algo acontecer, apenas entenda: foi só comigo. Eu te amo muito e me culpo muito por não ser nada do que eu deveria ser para te orgulhar. Me sinto rejeitado, e sou. Não adianta. Lá vai meu segredo: eu chego em escolas fico com uma mão fechada para dar um golpe para qualquer sinal de rejeição, nunca fui o preferido, as pessoas me trocam, eu nunca fui o amado. E sei lá, que falta faz, o mundo tem 6 bilhôes de pessoas, uma a menos não faria diferença.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Parei de usar drogas. Tô tomando uns antidepressivos e abusando de dipirona e tomando valium sem médico mandar. É, eu sei o que eu passo. Tentei me matar há dois meses atrás e fiquei três dias sem conseguir andar porque meus musculos se contraíam (kkkkkkkkkkk). Tô bem feliz, sabe, o que me incomoda é... não me encaixar, essa baixa autoestima extrema, essa insegurança que se torna uma violência, ver que não suporto ninguém (e é reciproco), que sempre estive errado. Um sentimento estranho que vai apertando o sei peito e você tem CERTEZA de que é fisico, e não psicológico. "Mas, Luis, você tem que aprender a conviver." Porra? Como assim? Eles realmente não me aceitam. Eu critico tanto que quando vejo estou sozinho, tipo, "opa, peraí, não era isso.", mas né. É inadmissível pra mim ter que colocar um alargador e ter um cabelo liso pra ser amado. Lembrando que nem doentes mentais se interessam por mim. Já passei daquela fase de chorar, agora só fico rindo e viro pro lado e durmo esperando que um dia a vida me acorde e fale "Oi, o café está na mesa, vá seguir sua vida.". Mas não, voltando pra realidade eu to gordo, sozinho (nem me.importo, quero é transar de forma promiscua), meu aniversário tá aí e tô reclamando porque tava me sentindo inutil e ainda penso que um dia posso escrever algo que preste. Opa, sonhei de novo. Só pra lembrar: eu tô numa fase ó-t-i-m-a da minha vida se for comparar aquelas anteriores. Se isso é estar ótimo, pohãn.

kd marte

Nego chega em mim e "Você só está se bloqueando cada vez mais do mundo." eu dou gargalhadas e penso: "Me bloqueando de gente falsa, de estéreotipos ridículos e de rejeição?" estou muito bem, obrigado. Nego posta algo no twitter lá vai eu reclamar mentalmente: "Meu Deus, como fulano é idiota.". Vejo nego namorando e penso: "Não dou dois mêses pra você estar se fodendo.". Começo um relacionamento e logo termino porque enjôo da cara da pessoa. Não saio de casa pra não lidar com gente. Saí da escola pra não lidar com gente. Não pertenço a lugar nenhum, não me encaixo em lugar nenhum, ninguém é suficiente pra mim. Dificil viver no planeta Terra. A pergunta que não cala é: o.que.que.eu.tô.fazendo.aqui.meu.senhor?

sábado, 25 de fevereiro de 2012

abstinência de refúgios

Sabe quando você tem certeza de que essa dor no peito vai te matar se você simplesmente não tirar essa máscara que é não ser VOCÊ para agradar o próximo e continuar a fazer o que é 'certo', sendo que você nem tem noção do que diabos é certo ou errado. Estar com si mesmo, nu, é o pior de tudo. Sempre precisar de um refúgio. Que tipo de pessoa não dá conta de ficar sozinha? Um borderline. Meu mundo e minha dor, por mais idiota e masoquista que pareça, é pra onde eu corro. E, cara, eu só queria ter minha própria essência, não depender de criticas ou alguém para seguir. Não precisar de um refúgio. Eu queria aceitar um elogio. Ver a menina que se matou por causa do bullying e não querer me matar, e sim, ver meu primo que luta contra o câncer e querer viver.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

querido diario

Ás vezes me pego lendo essas coisas otimistas que já escrevi, essas coisas de querer fazer algo fora do meu alcance e só consigo: tervergonha. Porque, porra, você além de não escrever bem ainda tem que lidar com coisas que você escreveu ontem e hoje discorda e toda essa confusão? Sim. Enfim, overdose de medicamentos, briga com meu 'irmão', cortes, saí de casa e estou proíbido de morar sozinho. Em dois meses. RÁ, mas agora já to medicado de novo, morando com minha vó e fazendo n.a.d.a. O bom mesmo da medicação é que você vê se tem saída, se muda algo, ou se muda aquilo que você realmente se importa, que muitas vezes não é o que importa pra eles. Se cortar é errado, se drogar é errado xingar Deus nem penso...mas sentir isso, é justo, você é forte.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

"ninguém pode ser curado de ser quem é."

Como se livrar de si mesmo? Acordar e não pensar o que eu penso não gostar do que eu gosto, e, enfim não ser eu mesmo. Estou cansado mais uma vez de ser eu mesmo. É insuportável ser eu.
Os meus refúgios:

Deus: Eu não posso me matar nem usar drogas nem te decepcionar, estou preso á vida.

Mãe: Lamento, MUITO, mas eu AMO drogas. Não nasci pra ser uma pessoa normal, ou sei lá, nasci, mas me tornei isso aqui. Eu não sou o filho que você gostaria de ter.

Música e literatura: Ah, se eu soubesse me expressar, se eu soubesse cantar, se eu pudesse fazer algo que alguém iria entender, sentir e se identificar. AH.

Eu só estou cansado de acordar todos os dias achando que vai ser diferente e não ser. Um novo dia, o MESMO drama. O mesmo drama de ontem.